17 julho, 2007

A volta do apagão

Minha reverência à abertura do Pan, foi realmente linda, e conseguiu estampar a verdade de uma nação vista de baixo para cima. O povo teve voz, ou garganta, não sei... Sentimo-nos libertos para o expurgo de nossas emoções. Só não expressou emoção quem não podia, a esposa de nosso presidente por exemplo, por total impossibilidade de suas feições plastificadas modificarem-se... Lula chegou sorrindo, mas ao adentrar no estádio perpetuou sua cara de carranca, esta sim legítima e verdadeira.
Pela primeira vez Lula não contou com aquela centena de pobres seres, que vendem seus aplausos em troca de um prato de feijão, podendo brindar-nos com seu sonoro silêncio, que por certo disse muito mais que suas palavras, foi indubitavelmente seu melhor discurso. Fez-nos lembrar seu apagão por ocasião do mensalão...
Houve como gosta de dizer, a quebra de mais um protocolo. Pela primeira vez na história dos Jogos Panamericanos, não foi um Chefe de Estado quem deu início aos jogos. Vimos a patética cena de nosso presidente empunhando um microfone em mãos, com um sorriso amarelo e constrangido no rosto tentando emitir sonoridade, até que se deu conta, que falava tão apenas com o "nínguem" como sempre deveria ser, enquanto Nuzman anunciava oficialmente a abertura dos Jogos.
Parodiando Lulático em suas criativas frases de efeito diria que, entre mortos e feridos salvaram-se todos: Lula pôde se orgulhar com mais um protocolo quebrado, tendo mais uma oportunidade de entrar para história, não apenas como o mais corrupto governo da história, mas para história do esporte, que ele tanto diz amar; e nós, o povo brasileiro, tivemos a oportunidade de expressar o que estava reprimido no peito, calando quem já deveria ter nascido mudo, foi realmente uma festa completa!!

3 comentários:

Patrícia Portales disse...

Persistir.

Anônimo disse...

Persistir em que???

ya disse...

ao meu ver... foi deplorável a atitude dos brasileiros perante as outras nações.
se eles não demonstram ao menos respeito pelo nosso lider político, não vão ser os outros países a fazê-lo. e todo mundo reclamou do pan. mas estavam orgulhosos em se apresentar como os anfitrões, para isso, não tiveram pudor.
foram coniventes com o gasto, pois estavam lá em grande número, aplaudindo não nosso presidente( que realizou o q eles gostaram) e sim um outro qlqr q n imagina a falta q esse dinheiro investido no pan vai acarretar.
como vc disse em uma postagem acima. somos todos culpados. e como disse em outra postagem. e facil jogar a culpa das coisas em um único mísero mortal.
mas n vou mentir. lula.. perdeu a própria dignidade. acabou se sujando c essa política pútrida com a qual temos q coexistir.
mas acho que as vaias apenas retrataram a falta de respeito que temos com nosso próprio país. não vai ser através de vaias e urros que vamos efetuar quaisquer mudança. dessa forma so nos depreciaremos mais. n so a vista das outras nações. mas na nossa própria mente.
apesar de discordar da sua opinião. e forma imparcial. foi bom ter tocado nesse assunto. ate certo ponto, polêmico.