26 março, 2008

Somar é difícil? Parece que sim...

Aturar o convívio diário com a política, requer o domínio da virtude paciência... Não discrepa à mim escrever sobre ela... É uma monotonia, uma falta de imaginação, uma mesmice, que o tédio virou o sentimento de maior presença dos últimos anos, claro, após a vergonha e a indignação...
Restringe-se de forma perfunctória e condensada à um bate-boca entre apedeutas alimentados pela máquina pública e a escol, elite, que dela mamou menos, mas hoje não mama mais, pelo menos da forma politicamente correta, ética... A podridão generalizou-se e penetra cada vez mais entre os costumes desse povo, que se enxerga à semelhança de seu Presidente e com ele se putrefata...
Vejam mais uma atitude previsível como uma soma de matemática básica, que virou a política nos tempos menos remotos:
O PeTralha Luiz Sérgio (RJ), relator da CPI dos Cartões Corporativos, foi contra a quebra do sigilo dos gastos dos governos FHC e Lula, este foi o último pronunciamento despido de nobreza deste ser. Confuso, já que era ele o maior entusiasta da tese de que se deveria dar largada aos trabalhos da comissão na investigação do governo passado... Estranho? Nem um pouco meus caros...
FHC com um gesto simples e esperado por quem tem confiança em sua ética, desmoralizou a cantilena. O cenário que os petistas tinham mediocremente imaginado era outro, reforçando ser a facção mais desprovida de sentido lógico.
Vejam só a completa ingenuidade em mais uma interpretação bucéfalo-PeTralha:
"Preparmo um dociê a imprença, esta havida por notìssias, vai pingando coisas, nós demonstra que dezonesto mesmo era o governo paçado, e pronto! Tudo rezolvido! Como os dados sobre o governo Lula estão protejidos por sijilo"...
A VEJA fez mostrar que fazer política não se resume a negociar privadamente com o dinheiro público, que para usar o Estado e intimidar adversários tem que ter um certo discernimento intelectual, alguma lógica de raciocínio...
Momento atual: PT não quer nem ouvir falar de CPI de Cartões, muito menos em quebra de sigilo, já o PSDB demonstra-se ávido para diferençar o moral deste governo do anterior... É esperar o próximo número deste picadeiro rico, mas sem astros, sem brilho e cheio de zebrinhas despidas...
Por falar nisso, sobre a chefe da Casa Civil a "Sinistra" Dilma, ninguém sabe ninguém viu, e à depender do Lulático ele já declarou que a CPI não lhe dará o fim de Palocci... Blindemos Dilma, 2010 ela precisa estar longe da cadeia, no Planalto...

3 comentários:

ZEPOVO disse...

Leonardo,
Vc escreve bem, percebe angulos interessantes, mas perde tempo comentando picuinhas.
Não perca tempo analisando CPI's ou tudo que cerca o assunto, ou toda a serie de artigos vai acabar com a manjada piadinha do articulista sobre oregano, cheiro de pizza e pizaiolos...

LEONARDO SARMENTO disse...

Zépovo,
Meu querido Zé, fazer política hj é fazer "picuinhas", analisar não pode ser diferente... Político hj só fala de CPI's, pois dá mídia, ibope, holofote... Não há nada a se fazer senão acompanhar, como disse no texto, esse circo sem brilho, sem astros e sem grandes números...
Não se "apoquente", o dia em que o roteiro desse circo mudar e ganhar em emoção terei o prazer de apresentar uma linda série de mortais, mas sinto dizer que com esse elenco eu duvido...

Marcos disse...

Não vejo nenhuma nobreza de FHC. Não cabe ao ex ou ao atual presidente abrir o sigilo dos gastos dos cartõs ou das contas da presidência. Cabe aos parlamentares essa função e sses não têm qualquer interesse em investigar nada. Os custos dessa CPI são maiores que os prováveis desvios que investigarão. Aliás, investigação não é, a priori, função do Legislativo, existem órgãos muito mais apropriados para isso, como o Ministério Público, como por exemplo.
CPI, realmente, serve apenas para colocar aquela marginália na mídia ou alguma CPI desde o impeachment de Coloor, teve algum desdobramento eficaz?
Além dos holofotes, a´s CPI dão muita grana, sendo um verdadeiro balcão de negócios, como de todo tem-se transformado o Parlamento.